topo



Fundado em 1993 com sede na igreja Presbiteriana Coreana da Liberdade,com o
objetivo de formar pessoas: responsáveis, estudantes, criativas, organizadas,
comunicativas e preparadas para a vida pessoal e profissional.
 
Missão
 

Formar cidadãos em um ambiente acolhedor tendo como prioridade a aprendizagem, formação continuada dos profissionais e um atendimento de qualidade e personalizado. A escola acredita que o afeto na educação pode transformar vidas, visando uma sociedade mais justa e fraterna.

 

Visão

Ser uma escola capitalizada e rentável, com ótimo referencial do ensino, com princípios cristãos, tornando o ambiente acolhedor .

 

Valores
Respeito, honestidade, verdade, ética, solidariedade e afeto.

 

Proposta Pedagógica
Amar, ensinar, acolher, educar e cuidar.
Desenvolver habilidades tais como:

 

 

Matriculas abertas para 2014

 

Inicio das Aulas:

           Integral: 16 - 01 - 2014

           Meio Período: 21 - 01 - 2014

 

Horário de Aula 2014

Período da Manhã : Entrada 6h50min - Saída 11h 30min (Segunda-feira e Sexta-feira)

 

(Terça-feira , Quarta-feira e Quinta-feira)

Entrada 6h50min - Saída ás 12h20min

Reunião de Pais : 20 - 01 - 2014 ás 12h00min

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Aviso aos Pais :

O conselho Estadual de Educação , de acordo  com  o disposto no inciso I do artigo 2º da Lei Estadual Nº 10.403/1971, e considerando a indicação CEE Nº 121/2013,
Delibera:


Artigo 1º - Os pedidos de reconsideração e recurso dos resultados finais de avaliação de estudantes da educação básica , no sistema Estadual de Ensino de São Paulo, tem seus procedimentos regulamentados por esta Deliberação.


Artigo 2º - s formas de avaliação, incluído o seu resultado final, realizadas pela escola, assim como os critérios de promoção e retenção dos estudantes devem estar expressos no seu Projeto pedagógico e explicitados no Regimento Escolar, nos termos da legislação vigente e desta Deliberação.


1º A escrituração destas avaliações e resultados devem ser registradas em docuemnto próprio nos termos  do Projeto Pedagógico e Plano Escolar da Instituição.


2º As informações descritas no caput devem ser divulgadas  para pais e estudantes no ato da matrícula ou constar do site da instituição e e ser do conhecimento de toda  aq equipe pedagógica.


Artigo 3º - Divulgado o resultado final das avaliações , os estudantes  retidos ou seus representantes legais poderão solicitar à  direção da escola, reconsideração da decisão, que será apreciada nos termos do regimento Escolar.


1º O pedido de reconsideração de que trata o caput deverá ser protocolado na escola em até 5 dias  úteis da divulgação dos resultados.


2º A direção da escola terá o prazo de 10 dias , a partir da data do pedido, para informar sua decisão.


3º A não manifestação da escola no prazo estabelecido implicará no deferimento do pedido.


Artigo 4º - Da decisão da escola , caberá recurso à Diretoria de Ensino, ou quando for o caso, ao órgão equivalente de supervisão delegada, adotando os mesmos procedimento, com as devidas fundamentações.


1º O recurso de que trata o caput deverá ser protocolado na escola , que o encaminhará em até 3 dias úteis de seu recebimento .


2º - A Diretoria de Ensino emitirá sua decisão sobre o recurso interposto, no prazo máximo de 15 dias , a partir de seu recebimento.


3º - O Dirigente de Ensino poderá  ser , para subsidiar sua decisão , designar supervisores para visita à escola e efetuar diligências.


4º Na analise do recurso deverá ser considerado:
I – O cumprimento das normas regimentais no processo de retenção.
II – A existência de atitudes discriminatórias contra o estudante.


5º - A decisão do Dirigente, caberá recurso especial ao Conselho Estadual de Educação por parte do estudante, seu representante legal ou da escola, mediante expediente protocolado na Diretoria de Ensino.


1º A diretoria de Ensino terá  o prazo de 3 dias úteis, a contar de seu recebimento , para encaminhar o recurso ao Conselho Estadual de Educação.


2º Em caso de divergência entre a decisão da escola e da Diretoria de Ensino, com relação à retenção do estudante , protocolado o recurso no Conselho Estadual de Educação, a decisão da diretoria de ensino ficará suspensa até o parecer final do Conselho.
3º  O recurso especial ao Conselho será apreciado pela Câmara de Educação Básica, em caráter prioritário, observadas  a normas regimentais.
4º O recurso especial será apreciado somente quanto ao cumprimento das normas regimentais da unidade escolar, a existência de atitudes discriminatórias  contra o estudante ou pela apresentação de fato novo.


Artigo 6º - A Secretaria Estadual de Educação poderá editar normas próprias sobre a questão tratada nesta deliberação para as escolas de sua rede, cabendo,  à supervisão de ensino, no seu trabalho permanente de visita  às escolas estaduais, oferecer as orientações necessárias.


Artigo 7º -  Esta Deliberação entra em vigor na data  de sua publicação, revogadas as disposições em contrário, em especial a Deliberação CEE nº 11/1996.

 

 

 

 

 


Tel: 3399-2327 / 2387-2327
Rua: Do Lavapés, 474 - Cambuci - Cep: 01519000

São Paulo - SP